terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Amote



"Não percebo porque é que "amo-te" se escreve desta forma: amo-te! Quando deveria ser desta: amote. Amo-te não deveria ter hífen ou travinho, como se costuma dizer. O amote de que falo, este, não deveria ter espaço, para que nenhuma letra respirasse, para que ficasse ali as letras apertadinhas de forma a não caber mais nenhuma. Porque a verdade é que, quando se ama alguém, não cabe mais ninguém ali. Porque não há espaço. Porque as letras estão ligeiramente sufocadas por essa palavra que se deveria escrever apenas e só assim: Amote." - Fernando Alvim.

3 comentários:

deKruella disse...

Epá não concordo com esse senhor...

Eu acho que não há espaço porque está ocupado pelo hifen...apenas há um traço para que as pessoas possam respirar...senão algumas podiam esquecer-se.

E se em vez do "te" se usasse o "vos" ou o "me" ou o "o/a"...esse ifen serve para que a palavra nunca mude mas sim o objecto amado. E acho que quando se ama não deve haver sufoco...não se deve estrangular porque isso não é amor é psicose...

Tomaaaaaaaaa...
:PPPP

RaquEL disse...

Mas aqui não está em causa o objecto mas sim a forma de amar.
Fala-se de um sentimento único, singular que apenas é sentido de A para B. Um sentimento que só diz respeito àquela pessoa, onde mais ninguém entra a não ser aquele B.
Um sentimento equilibradamente sufocante, se é que me faço entender.

Brigada por teres comentado
(=
*

btonga disse...

oi reki!

bigadu pelo comment no meu blog.

Geralmente uso obrigado, independentemente do género (masculino/feminino)

Para mim: Amo-te. Assim, como sempre o conheci. Sem interpretações de forma de construção. Podem mudar-se as letras, a língua, não o significado. Acho.

Ama-se. Amo. Amas. Amor.

Bj, boas festas