sábado, 26 de dezembro de 2009

Uma nova agenda

Vai começar um novo ano e por isso, pedi como de costume ao Pai Natal, uma agenda. Mas uma senhora agenda, não uma agenda que se compre no chinoca ou algo parecido.
Como adorei a minha deste ano, a agenda do Fernando Pessoa, esta tarefa não foi fácil.
Mas ora que conseguiram.
Eis a capa:


Bem, à primeira vista tudo nos parece estranho. O meu primeiro pensamento foi: "será que durante um ano vou estar a fazer publicidade a uma drogaria ou ferragens ou bricolage?!"
Continuei a desfolhar até que me deparo com este texto:
"O desconcerto do mundo começa pelo que vai ficando por consertar. Uma torneira que pinga, uma porta que descai, uma gaveta que empena. Há os desconcertos tranquilos, com os quais podemos conviver meses inteiros sem perder horas de sono, e há os outros, mais agudos, que nos desarrumam as ideias e contribuem devagarinho para o nosso desconcerto interior, o mais terrível de todos, para o qual não há parafusos, arrebites, bananas ou batoques que nos valham.
O problema é que manter o mundo a funcionar dá trabalho.
O problema é que manter o mundo num brinquinho é só para alguns.
Consertar o mundo implica o domínio de certas técnicas e palavras que, aos poucos, desconfiamos nós, estão a cair no esquecimento.
É aqui que entramos em pânico e nos pomos a pensar: e se, de repente, desaparecerem os Akis e os Izzis deste mundo, aqueles onde se vendem as soluções já prontas, a massa A misturada com o preparado B?
E se de repente o único jeitoso que conhecemos deixar de nos valer?
Quem fará disparar o autoclismo avariado? Quem será capaz de travar mesas bambas ou destravar gavetas empenadas? Quem?
Digam-nos, quem?

Pois é, custa, mas já vai sendo altura. Altura de crescer e acabar com a desordem. Porque acreditamos na autonomia e no potencial de cada um é que vemos o futuro em lojas como a Rufino & Filhos.
Na Rufino & Filhos, há sempre um empregado perspicaz atrás do balcão que adivinha o que procuramos, sem precisar de ouvir até ao fim o nosso pedido envergonhado. Ainda a frase vai a meio e já o filho do Sr. Rufino a completa com um sorriso benevolente: "catrabucha, menina, uma catrabucha resolve isso".
Mas desengane-se quem pense que catrabucha há só uma. Há as catrabuchas tipo pincel, as catrabuchas tipo taça, as cónicas, as entrançadas e as que combinam na mesma peça duas destas características. Um tratado, portanto.
Mas atrás do balcão há quem saiba, há quem explique e há quem ensine.
Em lojas como a Rufino & Filhos não há segredos e todos os problemas têm solução. E isso agrada-nos. Porque mesmo que a solução não seja directa (meu Deus, como estamos mal habituados...), há, digamos, soluções para criar uma solução. O que podemos, então, querer mais do que uma Rufino & Filhos à nossa porta?

Quando vos disserem que a solução para os problemas do mundo está nas mãos de Ban Ki-moon ou de Barack Obama, sorriam... mas não acreditem.
A solução para os problemas do mundo está, sim, nas vossas humildes mas jeitosas mãos. Porque, se cada um cuidar da sua torneira, da sua pia, da sua porta, o mundo será certamente um lugar melhor.

Em 2010, não vale deitar fora, o que está a dar é consertar. Por isso, concentrem-se e consertem. (E aprendam, que o Sr. Rufino não dura sempre...)"

Sendo assim, as soluções para o meu dia-a-dia estarão sempre neste caderninho mágico que é o Rufino & Filhos.

Para todos os leitores deste meu cantinho desejo que tenham umas boas entradas e um óptimo 2010.
E que junto a vocês encontrem sempre uma loja Rufino & Filhos!

O madeiro da minha terra


O madeiro da minha terra é sem dúvida o mais bonito de todos os madeiros que existem. Porque é este que conheço, é neste que me sinto bem, é neste que estão as pessoas que gosto.
Entre um copinho de vinho, um chouriço assado e uma prosa, ampara-se o frio na braza que se estende à frente dos nossos olhos.
Estes são os pequenos prazeres da vida!

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Passa tempo passa


Neste momento atravesso um momento de ansiedade!
É dia 23 de Dezembro e eu ainda me encontro em Évora. Não há péssima altura para estar em Évora do que esta. Quero ir ter com a minha família, quero ir sentir o meu lar e o tempo não me deixa.
Só tenho camioneta as 16 hora e ainda não são 15h!
Já vi o que queria ver na Net, já vasculhei o computador todo e agora só quero que chegue a hora de pegar nas coisas e ir para a camioneta.
Passa tempo, passa!! (De preferência bastante rápido!)

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Saudades...

Saudades do cheiro a lareira que invade as ruas da minha aldeia.
Saudades da cor da brasa que faz arder a minha cara, as minhas mãos e os meus pés depois de vir de uma noite gelada.
Saudades do ladrar do cão quando alguém passa com o seu andar vagaroso de quem a idade já pesa.
Saudades do pão aquecido à moda antiga com o seu sabor a fumo.
Saudades das tardes sem nada para fazer e sem vontade de fazer nada.
Saudades dos sinos de hora em hora a avisarem a população que na verdade o tempo passou.
Saudades das ruas vazias, sem olhares e sem movimento onde ali só se ouve apenas o ritmo dos meus passos.
Saudades do "Boa tarde!"
Saudades da ausência do "Boa dia!"
Saudades daqueles que me viram crescer.
Saudades daqueles que me ajudaram a crescer.
Saudades destes momentos.
Uma paz interior que não voltará!

Perto de um ano


Percorro
Percorro o mundo sem destino
Ancorada àquilo que acredito
Encaro o caminho sem receios

De curva em curva
De recta em recta
Entre terra batida e alcatrão
O cansaço é nulo.

Alvorada é cedo
E a disposição não falta
Ancorada a vocês
Nada me farta

Subo
Subo para além das nuvens
Subo até não haver mais
Descanso a ver o mundo
Aqueles que muitos deixam para trás
E que tanto me dá prazer
Que tanto me faz falta
Em tê-lo perto de mim.
Quero ir ter com ele
Pois ali é que me sinto bem
Embarco com vocês
Para o ano que vem

Vamos!
Vamos desbravar o mundo
Como se não houvesse o amanhã
Viver a experiência
É aquilo que mais quero!
Vamos?

domingo, 13 de dezembro de 2009

Abre os olhos!


De entre sorrisos, de entre a escola e o trabalho uma pause brusca urge:
"Depois do sol se pôr
É que gosto de escrever
A saudade de um amor
Que nunca cheguei a ter."
Alguém que se esconde atrás de um fato de muito trabalho demonstra aquilo que sente em versos, em pequenas frases que amparam um passado vivido entre trabalho duro e dificuldades.
Pouca instrução não a impediram de seguir em frente na escrita, de demonstrar a ela própria que é boa nalguma coisa e que há momentos felizes na vida.
Despensa a caneta, dispensa o papel. Um pensamento, um sentir basta-lhe para as palavras fluírem na sua cabeça. Daí poderá, ou não, pôr num testemunho porque o verso, afinal de contas, já está feito.
Tem medo por eles, pois são tudo para ela. O seu refúgio, o seu momento, é a sua vida que ali se encontra.
Esta semana abriu-me a porta. Tive receio de abrir, e principalmente de entrar e permanecer. Tive medo daquilo que poderia encontrar. Já sabia que algo de triste iria ver. Em frente segui!
Sem protecções, li aquilo que pude ler. De verso em verso, de frase em frase tentei entender o sentimento daquele escrito. Uns mais tristes que outros, gostei de todos. De muita coisa falavam mas o tema principal rondava a escola, o trabalho no campo junto dos pais e a terra que a viu nascer e crescer, Alentejo.
Uma honra!
Alertou-me para as dificuldades que a vida me poupou.
São naquelas tardes de pouca luz que se juntam gerações diferentes. Mundos opostos e que ali falam a mesma língua, tentando cada um entender o outro. Um entendimento que nos completa e que me faz ver que a vida não é justa para todos mas que essas pessoas podem ser felizes à sua maneira. Basta uma mão, basta um querer, basta uma conquista, basta um momento!

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

...


Ontem acabei o dia triste!
Esperava tudo, tudo mesmo, menos aquilo que aconteceu ontem nos Ídolos.
O André Cruz, o meu Ídolo favorito, foi para casa.
O olhar dele, a ausência de um sorriso entristeceu a minha noite. Sem ele, este concurso já não faz qualquer sentido.
Sendo assim, se me falarem dos Ídolos só vou saber responder a questões que estejam relacionadas até à gala de ontem.
Perfeito será nem sequer falarem no assunto!
E tenho dito!

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Chegou o Natal!


Chegou o Natal!
Já se ouvem as músicas natalícias pelas ruas,
Os centros comerciais cheios de gente a comprar as últimas prendas,
As moças das lojas já nem perguntam se é para embrulhar ou não,
O espírito já entrou em cada um de nós,
Os luzes já estão lindas e maravilhosas ao longo das ruas,
E o mais importante, já fiz as minhas compras todas sem chegar ao fim do mês a pedir a quem me dá a mesada!

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Uma música que marca pontos na minha vida

Porque faz-me lembrar alguém...

Porque faz-me lembrar um momento...

Porque gosto dela!

Ontem fui sair...


Com o feriado no dia seguinte, sem exames nem entregas de trabalhos à vista, reuniu-se as condições perfeitas para fazer de ontem uma grande noite de bailarico e animação.
Assim foi, depois de umas cervejinhas lá fomos para um bar que calculámos que fosse com pessoal maioritariamente eborenses, mas como era o Cyer que iria lá tocar não pensamos duas vezes em ir à avante com a ideia de entrar naquele bar.
Muita gente nova estava, muitos putos e muitas pitas enchiam a pista juntamente com as suas bebidas.
Mais umas músicas foram passando à medida que o espaço ficava cada vez mais reduzido para dançar. Só sei que quando dei por mim tinha um rapaz que, mal conhecia, a fazer de guarda costas minhas e da minha amiga Daniela.
Não percebi muito bem o que se estava a passar até que houve uma altura que uma mini confusão de instalou e eu com o meu olhar de dúvida e de desprezo mantive-me no meu lugar.
Afinal, para quem nunca vai para aqueles lados, sendo rapariga e não conhecendo ninguém, aqueles sítios são bastante perigosos.
O que se passou foi que, os putos eborenses que não sabem beber, encontram duas novas moças e pronto, está a festa feita. A sorte é que se encontrava aquele rapaz que agiu em nossa defesa e lá controlou a hormonas desequilibradas dos pobres rapazes.
E aí,ganhamos o nosso espaço pois ninguém se metia com estas duas raparigas protegidas pelo boss da zona.
Conclusão: Para se ir a um sítio somente beber um copo e dançar sem qualquer problema, nós raparigas, devemos ter sempre um guarda costas.

domingo, 29 de novembro de 2009

Uma panca



Ontem vi os Ídolos e estou cada vez mais encantada.
Inicialmente não ligava muito ao programa, ora via, ora não via, e assim foram-se aproximando os momentos finais.
Os cromos, que nos ofereceram muitos momentos de gargalhadas, foram deixados para trás e os melhores lá se destacaram.
No decorrer dos tempos comecei a interessar-me mais pelo programa e hoje lá estou eu em frente à televisão a ver as cantorias, os nervos e as negas dadas pelo júri aos concorrentes.
Expondo aqui a minha opinião sobre os participantes, houve um que se destacou não só pelo seu cantar, não só porque sabe tocar viola, não só porque está sempre a rir, não só porque está sempre a demonstrar grande àvontade no palco, mas porque é LINDOOOO!!!!


sábado, 28 de novembro de 2009

Depois de uma noitada, sai disto!


E tudo o tempo levou, embarcado nos acontecimentos que se infiltram sem aviso prévio na rotina. Apalpa-se o desconhecido e mastiga-se a realidade de uma vida a mudar.
Agarro-me àquilo que sonhei e esqueço o presente de um futuro. Percorro a minha alma na esperança de perceber aquilo que não tem explicação.

Voo!
Com os pés bem assentes no chão, voo! Percorro o mundo de olhos fechados e dele retiro o melhor.
Entende-lo será o meu próximo desafio.
Ai! O quanto a ausência pesa. Pesa com o sofrimento do contacto, pesa no olhar.
A palavra que não chegou e que espero,
A palavra que é a tua próxima missão!
Será que és capaz?

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Há dias recebi este mail. Como não o consegui enviar não sei muito bem porquê, achei interessante assustar as pessoas via blog!

Fez-se Justiça, finalmente...
A justiça portuguesa está de parabéns!

Depois de anos e anos a batalhar, eis que surgem os primeiros resultados.

· Desde a morte de Francisco Sá Carneiro e do eterno mistério que a rodeia,
· Ao desaparecimento de Madeleine McCann,
· Ao caso Casa Pia
· Do caso Portucale
· Operação Furacão
· Da compra dos submarinos

Do caso Freeport
· Às escutas ao primeiro-ministro
· Do caso da Universidade Independente
· Ao caso da Universidade Moderna
· Do Futebol Clube do Porto
· Ao Sport Lisboa Benfica
· Da corrupção dos árbitros
· À corrupção dos autarcas
· De Fátima Felgueiras
· A Isaltino Morais
· Da Braga parques
· Ao grande empresário Bibi
· Das queixas tardias de Catalina Pestana
· Às de João Cravinho
· Dos doentes infectados por acidente e negligência de Leonor Beleza com o vírus da sida
· Do miúdo electrocutado no semáforo
· Do outro afogado num parque aquático
· Das crianças assassinadas na Madeira
· Do mistério dos crimes imputados ao padre Frederico
Do mistério da admissão de pessoal na CGD
Do autarca alentejano queimado no seu carro e cuja cabeça foi roubada do Instituto de Medicina Legal
· A miúda desaparecida em Figueira
· Todas as crianças desaparecida antes delas, quem as procurou
· As famosas fotografias de Teresa Costa Macedo. Aquelas em que ela reconheceu imensa gente 'importante', jogadores de futebol, milionários, políticos.
· Os crimes de evasão fiscal de Artur Albarran
· Os negócios escuros do grupo Carlyle do senhor Carlucci em Portugal.
· O mesmo grupo Carlyle onde labora o ex-ministro Martins da Cruz, apeado por causa de um pequeno crime sem importância, o da cunha para a sua filha.
· E aquele médico do Hospital de Santa Maria, suspeito de ter assassinado doentes por negligência

Pois é... a justiça portuguesa está de Parabéns!
Depois de anos e anos a batalhar eis que surgem os primeiros resultados.

Prenderam um jovem que fez um download de música ...
YEAAAAAAAAH!... VIVA!!!!


Primeiro português condenado à prisão por pirataria musical na Internet!...
O Indivíduo poderá passar entre 60 a 90 dias atrás das grades por ter feito o download e partilhado música ilegalmente com outros utilizadores!...

Realmente a justiça portuguesa é de confiar, é de louvar!

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Factos da vida


Algo inquieta o meu ser!
Uma pessoa?
Um acontecimento?
Um desafio?
Não sei definir!
Só sei que um pouco de mim está vazio. Não que tenha perdido alguma coisa que completava a minha vida. Simplesmente sinto que algo se moveu e eu tenho, e devo, procurar um novo equilíbrio para essa mudança, para que esse lugar vazio volte a ser preenchido.
Será que devo culpar alguém por esta mudança?
Será que devo culpar um momento? O tempo? A vida?
Não me parece, ninguém merece arcar com esta culpa. São coisas da vida que sem nos apercebemos, mudam.
Realidades que diferem das nossas, interesses que se destacam e se revelam. A partir daí, a vida muda.
Porque não há um "ir", um "vamos" ou um "bora"!
Há ausências de momentos, que deram lugar às lembranças e às recordações.
É um resultado da caminhada pela vida!

domingo, 22 de novembro de 2009

Mas que dia...

Hoje o meu dia foi daqueles bem aproveitado mas também um pouco atribulado.
Acordei cedinho para ver a minha grande amiga Soraia saltar de uma altitude aproximada de 4kms e qualquer coisa.
Pois é, finalmente foi saltar de avião.
Estávamos todos ansiosos pelo momento. A espera foi eterna e o salto curto demais. Lá em cima víamos um pontinho que se tornou num corpo enorme. Lá veio com um sorriso para junto de nós a contar a experiencia acabada de viver. Gostamos todos de a ouvir isto até porque ficamos com um bichinho de também um dia saltar.
Pois é... Sou apologista de que devemos viver em altas e ao máximo aproveitando tudo aquilo que a própria vida nos disponibiliza e nos concede. Daí que este salto já me tenha passado pela cabeça. Hoje o bichinho que habitava cá dentro ficou um pouquinho maior. Mas nada de preocupante. Ele espera até ter um dinheirinho mega extra.
Bem... o dia prosseguiu com o trabalho atrás do balcão que me ajuda a chegar ao final do mês e a passar o tempo. Desta vez grande parte dele foi a pensar que, quando saísse do mesmo iria ser intensiva dona de casa.
E assim foi, depois de uma tarde que custou a passar, lá fui eu toda pimpona para casa com a roupa do trabalho que, também ela, iria ser lavada.
Tomei banhinho, pus os papéis de aviso da residência em dia, fui despejar o lixo do fim-de-semana, fui pôr a minha roupa a lavar e apercebi-me que não tinha muito espaço para a estender. Mas com algum jeitinho a coisa dava-se. Não era um fenómeno que me preocupasse. Aquilo que aconteceu a seguir é que me preocupou, e muito!
Pois é…a máquina de lavar roupa avaria-se nas minhas mãos e com a minha linda roupa lá dentro.
Tudo inundado…

Assim não há condições para ser uma grande dona de casa!

P.S. A minha roupa sobreviveu, a máquina só um técnico o dirá!

Confusa


Não sei o que pense
Não sei o que ache
Não sei o que diga

Só sei que estagnei
Só sei que avancei
Só sei que mudei!

sábado, 21 de novembro de 2009

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Fotos do jantar do dia 1 de Novembro



Acabadinho de traçar a capa às minhas afilhadas!


Os bichos que praxámos e que vemos dar mais um passo na sua vida académica!

As minhas afilhadas a baptizarem a minha capa!



Achei engraçada esta foto do jantar...
A Mónica muito preocupada em não aparecer na foto pois é a que aparece em primeiro plano,
A Cagoitas a reclamar não sei muito bem com o porquê,
O Filipe a olhar para a sua madrinha com ar de quem não percebe a sua atitude,
A Soraia a cantar com todo o seu fervor,
O Márcio feliz da vida, pois está entre duas mulheres lindas,
E eu... que parece que estou a ser revistada pela polícia...
Enfim... aqui está uma foto que capta um excelente momento...

sábado, 14 de novembro de 2009

Está quase.... a frequência está a arrebentar!!


Está a chegar o dia!

Pois bem... Desde que entrei no curso de Arquitectura Paisagista que ando a tentar passar a Geografia Física.
Ora passo a metade da cadeira (faço um semestre e o outro fica por fazer), ora chumbo e perco tudo, ora acho por bem ficar um ano de pausa. O que é certo é que ainda tenho esta cadeira pendente no meu cadastro.
Esta primeira parte não me assusta tanto até porque foi esta parte da matéria que no primeiro ano passei. O que me atormenta a alma é a Geografia Física do segundo semestre.
Fico aliviada ao saber que o problema não é só meu.
Podia não perceber mesmo a mensagem do professor ou então não estudar o que era certo a tempo e horas…
A realidade é que grande parte das pessoas que têm de fazer esta disciplina têm sérias dificuldades em tirar nota positiva.

É quarta-feira o dia.
Estou assustada não por a matéria ser difícil, mas porque estou a falar de Geografia Física, o pesadelo do meu curso.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Mas porquê?


Hoje, ao ver as notícias que passavam na televisão, o meu pensamento voou até aos meus tempos de juventude.
Voou para a época das grandes fantasias, para a época onde os nossos ídolos eram os grandes amores das nossas vidas.
Quem nunca teve um cantor ou cantora que lhe agradasse mais?
Quem nunca teve uma actriz ou um actor que lhe fizesse vibrar com a sua participação?
Quem nunca teve um jogador ou jogadora que lhe desse mais prazer em falar dele(a)?
Pois bem... Eu na minha maravilhosa adolescência não era muito adepta de futebol via porque muitas vezes era obrigada pelo meu irmão. Devido a esta realidade tive dois grandes amores platónicos. O primeiro foi o feioso Nuno Gomes, o segundo que conquistou o seu lugar especial foi Robert Enke.
Vibrava quando os via na televisão em grande plano, quando apareciam nas conferências a falar do jogo, ficava triste quando os via com as respectivas mulheres… Enfim… eram aqueles jogadores que me motivavam a ver os jogos do Benfica com tanto entusiasmo.
Hoje recebo uma notícia que me fez recordar estes momentos com saudade e ter a certeza de que nunca mais vou voltar a tê-los.
Foi com uma enorme tristeza que recebi a notícia de que Robert Enke faleceu!

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Uma mensagem


Há alguns dias atrás, quando a minha vida estava numa agitação fora do normal, quando as dúvidas pairavam na minha cabeça, quando tudo parecia escapar-me das mãos ao mínimo gesto, recebo daquelas mensagens feitas mas que, naquele momento, soube-me tão bem lê-la...


Partilhando a mensagem:
"Ri mais, sente mais, sê feliz com o que tens no momento."


Parece que acertou naquilo que precisava de ouvir.
E eu que não gosto destas mensagens esta, definitivamente, vai ficar-me da cabeça nos próximos tempos.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

A incompreensão de um sinal


É estranho, é duvidoso e é de uma falta de civismo que me ultrapassa.
Cheguei à sala de estudo da minha residência hoje por volta das 8:30, quando me deparo com um cheiro nauseabundo a tabaco.
Como é possível, raparigas fumarem dentro da única sala de estudo que existe nesta casa e que é partilhada por mais quarenta e tal pessoas, tendo as seguintes situações:
Uma varanda agradável e gigantesca mesmo aqui ao lado;
Um sinal de “proibido fumar” estampado na porta desta sala.

Como é possivel, a falta de civismo e de respeito pelo outro não ter limites!?!?!?

domingo, 8 de novembro de 2009

Um passo em frente, bora?


Não conheço
Nunca vi
Nunca partilhámos um lugar

Há quem diga que é arriscado
Há quem diga que é de crianças

Por este convívio:
Quero arriscar,
Quero voltar a ser criança,
A ter aquele pensamento que tudo é certo e que tudo gira porque sim, porque tem que ser.

Nunca partilhámos um olhar,
Nunca partilhámos um sorriso...
Partilhámos mais...

Palavras
Emoções
Experiências
Curiosidades

Encontramos na máquina o nosso refúgio, o nosso lugar.

Desejo…
Ansiedade…
… De um dia encontrar o teu olhar!

sábado, 7 de novembro de 2009

Quem disse que trabalhar não é bom?!?!


Foi há duas semanas, aproximadamente, que comecei a trabalhar.
Não estou a ganhar muito mas também não tenho com que me queixar.
Não é um trabalho certo, posso de um dia para o outro deixar de ganhar dinheiro, mas também não peço mais.
É um tempo que me abstraio da minha realidade e enterro os meus pensamentos ali, na confusão dos pedidos, das contas e das diversas pessoas que pela sala vão rodando.
O próximo passo é gerir o meu tempo. Não trabalho muito tempo e as aulas também são poucas, por isso não deve ser difícil encontrar um espaço para o estudo.
Sabe bem ocupar a cabeça com coisas que da minha vida não fazem parte.
Só há poucas noites atrás é que me apercebi deste facto: deitada na cama começo a levar os meus pensamentos para assuntos que, antes de ter esta ocupação, faziam parte do meu quotidiano e que hoje, já fazem parte de um passado.
Adoro ter algo que ocupe o meu tempo, a minha cabeça e que ajude a minha vida a voar cada vez mais alto.

A nova publicidade do Pingo Doce

Se me perguntarem se gosto da publicidade do Pingo Doce com aquela cantoria de 5 minutos, responderia que sim.
É uma publicidade alegre...
Mal acaba dá vontade de ir ao Pingo Doce mais próximo...
Toda a gente conhece...
Dá nas vistas...
De facto, possui todos os objectivos de uma grande publicidade.

Com estas qualidades todas, para quê mais?
Continuem nas cantorias e deixem-se de histórias individuais sem sentido!!

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Coisas da vida


Domingo de manhã:
A minha garganta dava sinais de vida intensos.
Depois de uma noite mal passada, mal ouvi o sino das 10h, levantei-me na certeza que iria encontrar a farmácia de serviço desse domingo, desse feriado. Estava disposta a encontrá-la nem que isso fizesse com que andasse Évora inteira, incluindo zona industrial e arredores.
Coloquei a mala às costas, uma garrafa de água dentro da mesma, calcei os meus ténis e lá fui eu.
Saí de casa coloquei os meus óculos de sol para ocultar os meus olhos de sono e arranquei. Estava um pouquinho de vento apesar do sol que teimava em encadear-me.
Bem... A farmácia desse dia ficava a 2 minutos da minha casa.
Nem sei se me senti a rapariga mais feliz ou uma certa desilusão pelo facto de estar mesmo ali.
(Foto de Igor Vieira)

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Uma carta...

" Olá minha alegria,
Como tens passado?

Essa vida sentimental ainda continua a dar que falar ou estabelizou? Por vezes sabe bem, não é? Sentir aquele momento nosso de reflexão, de pausa para nos divertirmos sem a constante dúvida em nós. Divertirmo-nos livremente, harmoniosamente connoscos mesmos.

Eu estou em Évora. Não quero dizer "ainda" porque defacto não é isso que sinto.
Quero permanecer aqui, não quero que esta fase tão boa da minha vida se vá.
Parece que foi ontem que o medo do desconhecido estava dentro de mim.
Parece que foi ontem que fui praxada a ouvir os berros dos Senhores Estudantes que tanto me ensinaram.
Hoje estou nos últimos momentos antes do dia 1 de Novembro, o dia da Universidade de Évora.
As minhas afilhadas vão trajar pela primeira vez. Vou ve-las com o traje académico vestido! Sabes o que isto quer dizer? Que, para além de estar a ficar velha, os bichos que eu praxei, os bichos que eu vi crescer, vão colocar a responsabilidade do traje em cima dos ombros!
Claro que quero que esse grande passo para todos nós chegue, não quero é que passe porque ao acontecer significa que eu já não me encontro em terras alentejanas. Não quero mesmo partir. Quero ficar!
Para além do segundo ano trajar, o primeiro ano vai passar de Bichos a Caloiros. O abraço tão desejado, os olhares em pulgas para serem feitos vão ser realidade. Tudo isso vai acontecer à meia-noite do dia 1 de Novembro.
Quero que chegue, não quero que passe!

Espero ver-te em breve!

Longe, mas sempre perto!

Beijo
ReKy”

O último jantar

O dia 1 de Novembro aproxima-se, a ansiedade aperta e o nervosismo está à queima roupa.
Por estarmos perto do dia dos bichos deixarem de ser bichos, fizemos um mega jantar com eles.
Comunicar, preparar a casa, ir às compras e… começou a festa!
Trajada e em casa do Márcio lá iniciamos as conversas, as ordens e as músicas. Com as horas a passar, a música aumentou e o nosso afecto pelos bichos também. Para recordar outros tempos, e porque estávamos na casa do Digníssimo Márcio, a noite balançou ao som do Funk do Brasil.
Passou bastante rápido, os bichos tiveram que comer com os palitos porque o dinheiro não chegou para comprar talheres para eles, as coreografias foram surgindo cada vez mais belas inspiradas nos sapatos dos Digníssimos, sendo o chão o melhor amigo do bicho e o convívio o rei do jantar.
Quentinhos por de baixo das capas, lá fomos todos para o arraial que por sinal acabou bastante cedo. Como tal, deu tempo para conhecermos mais pessoal, jantar pela segunda vez e irmos até à Praxis abanar o corpo.

Assim se passou o último jantar com os chamados bichos.
No futuro com certeza haverá mais histórias!
(Fotos deste jantar vêm mais tarde)

domingo, 25 de outubro de 2009

Não percebo porque é que este anúncio português foi censurado!!

É nacional...
Aborda um tema que toda a gente conhece...
…Um tema que a todos diz respeito...
Abrange os direitos dos animais...
… O seu sofrimento…
… A sua humilhação...

Porque afinal, o ser humano não manda e muito menos não é chefe dos animais que coabitam neste planeta!
Que hipocrisia!
Que ignorância!

sábado, 24 de outubro de 2009

Uma passagem que permaneceu

Raposa: "Estás a ver, ali adiante, aqueles campos de trigo? Eu não como pão e, por isso, o trigo não me serve para nada. Os campos de trigo não me fazem lembrar nada. E é uma triste coisa! Mas os teus cabelos são da cor do ouro. Então, quando eu estiver presa a ti, vai ser maravilhoso! Como o trigo é dourado, há-de fazer-me lembrar de ti. E hei-de gostar do barulho do vento a bater no trigo...
Por favor... Prende-me a ti!"
Uma passagem do livro "O Principezinho"

Algo pára no tempo e faz-me esboçar um sorriso, uma lembrança, um olhar atencioso. Recorda-me de ti, de nós, de momentos.
Pelas pequenas coisa recordo-te para sempre!

Fui à feira!


Hoje acordei cedo e fui à feira!
Não é um lugar onde goste de ir e muito menos que esteja habituada. Muito barulho, as ciganas gritam aos meus ouvidos, as pessoas agarram e puxam vestidos, foi o cenário com que me deparei.
Fui na esperança de encontrar alguma coisa que gostasse sem no entanto, gastar muito dinheiro.
No início, ia vendo somente com o olhar, se por acaso uma peça chamasse por mim, lá lhe tocava sem nunca perder o rumo ao meu caminho. Meia hora se passou e eu sem nada na mão. Apercebi-me que tinha mesmo que mexer e apalpar se realmente queria trazer qualquer coisinha para casa. Foi o que fiz, comecei a palmilhar os montes e montes de roupa que iam surgindo sem qualquer preconceito. Como diz o provérbio: "Onde fores ter, faz como vires fazer".
No fim da manhã, tinha umas calças e um xaile.
Nada mau!

Ai aulas, aulas... onde estão vocês?


Este ano estou com um horário brutal!
Poucas aulas, muito tempo livre e pouca preocupação.
Mas, pensando bem no assunto, será que é assim tão magnífico ter pouquíssimas aulas durante a semana?
Aprofundando a questão e sentindo isso na pele, digo que não.
Tenho poucas aulas, o que significa que são poucos os dias que tenho que me levantar cedo. Para ajudar à festa, as tardes tenho-as livres. Ora, realmente é bom, não ter que acordar sempre cedo, não ouvir o despertador e só acordar para almoçar. Até aqui, tudo perfeito.
O problema são as tardes onde domina a ausência de preocupação e a ausência de trabalho.
Invento preocupações... "Bichos, dou explicações de Topografia, querem?". E assim as horas passam, entretida entre eles e os números.
Vamos recordar, "professores, por favor, dêem-nos TPC's!"
As noites passam-se bem, ou escolho um programa caseiro ou vou sair.
Vamos inventar...

Quero trabalhar!

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

domingo, 18 de outubro de 2009

Que semana!


É assustador como o tempo, sem darmos por ele, passa tão rapidamente.
Há semanas que, se não venho à internet, torna-se uma tortura para mim. Ver o meu blog, passear pelos diversos sites, ver alguns hi5's e myspace's... Enfim... pôr-me a par das constantes mudanças do mundo. Esta última semana foi daquelas que me passou completamente ao lado a necessidade de vir a este motor.
O tempo passou-se entre trabalho, aulas, bichos e claro, a bela Recepção ao Caloiro.
Um dia com os bichos que me fez chegar a casa estoirada. Bolhas nos pés, os olhos ganhando vida própria, as pernas a doerem-me e ainda por cima, ouvir os bichos a queixarem-se do cansados. Tenham Santa paciência!
Seguiu-se a jantarada, um copito para terminar a noite e enfim, a desejada cama.
Terça começou a Recepção ao Caloiro. A partir daqui a palavra tempo não existiu. Foi tudo de rajada!
Tunas, Quim Barreiros e José Cid foram os dias que optei por ir visto os bilhetes estarem o horror de preços.
Dias que envolveram jantares, convívio e muitas histórias boas para contar.

A sensação que tenho é que este ano, por ser o último que estou nesta vida, é aquele que me vai fugir das mãos sem dar por isso. Quanto mais o quero apertar, senti-lo seguro, mais frágil se torna a sua existência.

domingo, 11 de outubro de 2009

A nova música dos Pearl Jam

Ando víciada nesta música, não sei se é por ser novidade ou por ser mesmo bonita! O que é certo é que não me sai da cabeça.

sábado, 10 de outubro de 2009

Ambiguidade


Há momentos que tudo nos parece perfeito
Há momentos que tudo nos faz rir
Que tudo se encaixou...

Sentimo-nos leves
Sentimo-nos importantes
Que tudo ao nosso redor está diferente...

Há momentos próximos
Que nos mostram que afinal tudo não passou de um momento
Pequeno e saboroso sonho...

Ambiguidades que nos fazem crescer
Que mudam o nosso olhar
Que interrompem a nossa rotina...

Ambiguidades da vida...
Intensa!
Sentida!

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

"That tonight's gonna be a good good night!"

"I gotta felling
That tonight's gonna be a good night"

Esta semana, sem dúvida nenhuma, superou as minhas perspectivas.
Fui para Évora dia 14 de Setembro e só no dia 7 de Outubro é que a vi à noite.
Parece mentira mas é a mais pura verdade!
Com exames e algumas dúvidas na minha cabeça, não foi possível colocar os pés fora de casa a não ser para ir às aulas e tomar alguns cafés para me abstrair do stress dos exames.
Felizmente consegui faze-los e para festejar esse acontecimento, fui para a borga, claro!
Jantarada com o pessoal e com mais duas pessoas muito especiais que vieram fazer uma visita relâmpago mas muito saborosa às criaturas que os viram amadurecer.
Depois do jantar, de muita cantoria e de muitos brindes lá fomos sair.
Uns preferiram continuar em casa, outros foram para os bares.
Bem… Foi uma noite muito mas muito bem passada!

É engraçado, estou em Évora há quatro anos e apesar de o conteúdo das noites nesta cidade não variarem, estas são sempre diferentes e, quando acaba uma, ansiamos que venha rapidamente a próxima noite recheada de convívio sem qualquer tipo de preocupações.
Quero mais noites destas!

sábado, 3 de outubro de 2009

Um cenário diferente


Hoje dei um novo ar a esta casa.
Não tenho muito jeito para combinar cores, não tenho muito jeito para as arrumar no local mais adequado, não sei mesmo lidar com estas tecnologias. O que é certo é que eu gosto de mudanças!
Assim sendo, aqui está o resultado de algum tempo de estudo profundo e dedicação para conciliar as cores com o meu desejo.
Espero que gostem!

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Um poema que apareceu na minha agenda

"Para ser, grande sê inteiro: nada
Teu exagera ou exclui.

Sê todo em cada coisa. Põe quanto és
No mínimo que fazes.

Assim em cada lago a lua toda
Brilha porque alta vive."

Ricardo Reis, "Odes"


Há poemas que, por nos darem forças ou porque somente nos identificamos com eles, aparecem frequentemente na cabeça.
É o que se passa com este pequeno excerto de Ricardo Reis.
Ao folhear as páginas da minha agente cujo a tipologia é o poeta Fernando Pessoa, olhei este poema, li-o e maravilhei-me com a analogia feita às nossas acções.
Somente comparar o acto humano aos acontecimentos naturais já me encheu a alma!

domingo, 27 de setembro de 2009

Tantos pensamentos num só dia


Não sei o que se passa com a minha vida neste últimos dias, mas o facto é que, há muita informação, muitos pensamentos que ao longo do dia e, de um dia para o outro, vão-se alterados.
Hora stresso com os exames, hora stresso com o facto de poder, ou não, conseguir arranjar trabalho.
Hoje quero pensar em estudar para amanhã conseguir arranjar um part-time.
É o que sinceramente quero pensar, mas a ânsia de conseguir arranjar alguma coisa abstrai-me do estudo. Grave!
Para além desta confusão, ainda há outra! A questão aqui parte naquilo que realmente eu quero fazer.
Tive em dúvida em inscrever-me numa loja sendo esta, até agora, o meu último recurso. Hoje passou de último para primeiro!
Isto se continuar assim, a minha cabeça explode de tão confusa que está.
A minha sorte é que os exames são esta semana! Por isso, e pelos meus cálculos, vou conseguir sobreviver a mais um conflito cerebral!

sábado, 26 de setembro de 2009

Mais um fim-de-semana por terras alentejanas

O troque é levar um dia de cada vez.
Gosto destes fins-de-semana, quando fico sozinha no quarto, onde posso desarruma-lo à vontade sem a preocupação de o ter que limpar logo a seguir.
Gosto destes fins-de-semana porque posso estudar deitada, em silêncio e sem distracções.
Gosto destes fins-de-semana porque sinto que o quarto é só meu.

Hoje é o segundo dos três fins-de-semana que fico em Évora. Estes porque tenho que estudar, o outro porque vou a uma visita de estudo em Ponte de Lima.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Milagre


A partir de agora, o que preciso na minha vida é de um milagre!

Milagre = Facto sobrenatural oposto às leis da Natureza.

Sinto que, sem saber o porquê, vou cair no esquecimento de alguém. Ser importante que vira as costas sem pré-aviso, sem sequer transmitir uma palavra.
O silêncio é o mestre do momento, é quem guia a nossa relação para um mundo indefinido. Tento não ocupar os meus segundos do meu dia com esta ausência mas foge um pouco aos meus limites.
É uma perda presente que caminha ao meu lado.
O que me resta? Esperar por um milagre!
Caso não venha?

Não acredito em milagre!

domingo, 20 de setembro de 2009

Amanhã


Apresentem-se!!
Amanhã quero conhecer todos os bichos do meu curso.
Apenas conhecer, porque quanto aos bichos, vão ter muito tempo para tirar conclusões acerca da minha pessoa!

Faz amanhã um ano quando praxei pela primeira vez. Ui... que nervosa eu estava! A única coisa que saía da minha boca era: "Bichos, olhos no chão!" Isto para esconder a minha cara que só demonstrava o meu sorriso e o meu ar nervoso.
Tudo correu bem, o nervosismo passou e dele veio a descontracção e uns bichos fantásticos que daqui a um mês e meio vão trajar.
Após um ano muita coisa mudou: O traje está mais gasto, a experiência amadureceu, a descontracção está no seu melhor e o nome é o que mete mais respeito. Vou ser tratada por "Digníssima Senhora Estudante Raquel", e ai dos bichos que não o fizerem, a antiguidade é um posto e tem que haver respeito quanto a isso! Apesar de ser um nome lindíssimo tem as suas desvantagens: significa que já fui bicho, que já tive a grande responsabilidade de praxar e que agora está na altura de queimar. Fica uma passagem e um sonho que se ultrapassou num curto espaço de tempo.
Mas deixemo-nos de melancolias porque ainda falta um ano para a desgraça acontecer!

Amanhã chegam os bichos e eu vou praxar!

sábado, 19 de setembro de 2009

O que é ser estudante de arquitectura paisagista afinal?

A vaguear pelo mundo dos blogs encontrei esta pergunta que me suscitou logo curiosidade para ler as diversas respostas. Espantei-me, pois em algumas alíneas revi-me nos momentos mais difíceis.
Sem dúvida que é assim mesmo a vida de um estudante de arquitectara paisagista!

- O despertador serve para te avisar que tens de ir DORMIR.
- Mudaste o teu vocabulário: trabalho por ENTREGA, chão por PAVIMENTO, bom dia por "já acabaste?" , e Olá por "O que foi agora?!"
- Deixas de ficar envergonhado/a por ADORMECER nas aulas…
- Consegues até dormir em QUALQUER superfície, seja ela, um teclado, uma mochila, os teus colegas, no chão, em cima da comida...
- Sabes a que SABE um tubo de UHU, de K-Line e Madeira Balsa.
- Passas a CELEBRAR espaço, e a OBSERVAR o teu aniversário.
- Café e bolos tornam-se INSTRUMENTOS DE TRABALHO e não guloseimas.
- Pessoas de outros cursos evitam o teu HÁLITO VICIADO EM CAFÉ.
- Quando te fazem um CONVITE, acrescentam: "... ou tens entrega?"
- É uma FESTA e alvo de muita OBSERVAÇÃO qualquer intervenção paisagística no Jardim Botânico.
- Julgas ser mesmo possível CRIAR espaço.
- Dormes mais de 20 HORAS num fim-de-semana.
- Lutas contra OBJECTOS INANIMADOS.
- Perguntam-te CONSTANTEMENTE "Que cara é essa?"
- Os teus irmãos descobrem subitamente que afinal se tornaram FILHOS ÚNICOS.
- Consegues ouvir todos os cd's ou playlists de MP3 em menos de 48 HORAS.
- Vizinhos perguntam aos teus pais se MORRESTE ou EMIGRASTE.
- A chave de casa desapareceu durante uma semana... e tu por acaso REPARASTE nisso?
- LAVAS os dentes na faculdade, e quem diz dentes...
- O/A namorado/a fica surpreso por CHEGARES A HORAS, e não por CHEGARES ATRASADO.
- ESGOTAS UM CARTÃO DE MEMÓRIA a fotografar um estúpido passeio ou um possível fundo de painel.
- Ficas MAIS HISTÉRICO com uma conferência que o próprio arquitecto.
- De repente faz todo o sentido ter um DESODORIZANTE ou uma GILETTE na mala.
- Dançaste a música mais FOLEIRA com coreografia e tudo às 4 da manhã sem uma única gota de álcool no organismo.
- Produzes 80% do papel possivelmente reciclável da tua rua/zona! …O que vale é que ainda és dos únicos a RECICLAR…
- Quando tentas comunicar, fazes um LOOOONGO e CHAAATO discurso (monólogo).
- Pequeno almoço, almoço, lanche e jantar tornam-se numa ÚNICA refeição.
- Férias não são mais do que HORAS DE DESCANSO.
- O teu PC tem mais fotos de ÁRVORES, ARBUSTOS E HERBÁCEAS do que de PESSOAS.
- Levas o teu namorado/a a um jardim e começas a falar-lhe em sistemas de rega.
- Consegues viver sem CONTACTO HUMANO, LUZ, COMIDA, TV, ou MÚSICA, mas se não consegues imprimir... É O CAOS!!!!
- Quando te mostram fotos de uma viagem, a tua única preocupação é "MAS QUAL É AFINAL A ESCALA HUMANA?!"
- Dominas o PHOTOSHOP, o AUTOCAD, os 3D'S e o camandro, mas nem uma SIMPLES CONTA em EXCEL consegues fazer.
- Não entendes como se pode gastar MENOS de 10€ numa livraria.
- Gastas 60€ numa REVISTA sobre arquitectura paisagista, em inglês e espanhol, que NEM SEQUER LÊS, e criticas a tua mãe por comprar a NOVA GENTE a 3€.
- Estavas acordado/a em milhares de amanheceres, mas não assististe a UM sequer.
- Não és visto em público SEM olheiras.
- Os teus pais têm medo de usar palavras como BONITO ou FEIO.
- És capaz de REUTILIZAR o impensável para fazer uma maqueta.
- Os teus pesadelos consistem em NÃO chegar a tempo, ou NÃO TERMINAR algo para a entrega.
- Se alguém te diz "Preguiçoso", "Tens um curso super relaxado" ou "Não é o mais difícil dos cursos"... quiseste ASSASSINAR essa pessoa.
- ODEIAS que te digam "Vai dormir agora", "Se de qualquer das formas não vais terminar... vai para a cama", ou mesmo se a simples pergunta "Falta-te muito?" te pode chegar a irritar.
- Quando por fim tens tempo para SAIR, os teus pensamentos são: "Que mal aproveitado o estacionamento da discoteca", "isto não contacta bem com o exterior…", "estas escadas são..."

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Uma questão


É impressionante a pontaria que os electrodomésticos têm para se avariarem no período mais difícil do mês.
A pequena televisão que tenho em Évora que, apesar de ser do século passado, dá-me um grande jeito, avariou-se. Uma peça que liga a antena à própria TV soltou-se e pela instrução do homem da loja onde a levei concluiu que deverá ser soldada para que volte a funcionar.
Pedi-lhe o orçamento da reparação ao qual ele respondeu-me que ficava entre 25 a 30€.
Sendo uma televisão que não apanha mais que dois canais carregados de chuva aqui em Évora, será que vale a pena o arranjo?

terça-feira, 15 de setembro de 2009

De volta!


...de volta a Évora...
...de volta aos jantares...
...de volta à sala de estudo de paredes brancas...
...de volta ao stress do estudo...

...Estou de volta!

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Preparação para uma nova partida!



Embarco...
Encaro esta viagem somente como um desafio, levando rascunhos de um plano, uma mala e toda a bagagem nas minhas recordações.
Abraço aquilo que ficou e mergulho no futuro desconhecido.
Quero conseguir...


Até ao meu regresso!


domingo, 13 de setembro de 2009

Lítio, o cão de marca

Este fim-de-semana, e para rematar estas férias, fui passar estes dias com a minha mãe e uns amigos dela para uma casa localizado no Ninho do Açor, perto de Castelo Branco.
A habitação, apresentava-se cercada de oliveiras, com uma piscina e tinha um grande aspecto. Foi mesmo daqueles dias em que não se necessitava sair de casa pois tínhamos tudo dentro dela.
Umas das coisas que me surpreendeu foi o tamanho da casa do cão.



Nesta foto podemos observar a área da piscina e num plano mais longínquo vemos as grades que anunciam a casota do Lítio.
Vendo mais de perto temos:
Pois é, aqui temos uma verdadeira casa de um cão que, quando se vê fora dela rebola na areia, mergulha na barragem a fazer da vida das rãs um verdadeiro inferno e a aterrorizar o que o envolve.
Esta sua casa apresenta-se com a seguinte tabuleta:

Feito as apresentações da casa do Lítio, um cão super simpático, só falta apresentar a figura.
Pois aqui está:
De facto há cães com sorte!
Com isto coloco uma questão: Porque é que se utiliza a expressão "Que dia de cão" quando o dia nos correu super mal?

Lítio, até uma próxima!

sábado, 12 de setembro de 2009

Será a mesma coisa? Medo!


Alguém ordenou que os dias passassem?
Alguém mandou partires?
Alguém te prendeu?

O tempo...
O tempo alarmou a tua partida, quis ele que caminhasses rumo a um novo desafio. Uma história, um ensino e uma grande pessoa tu levas dentro de ti.
Por cá, sentirei a tua falta, dos cafés, das fugas da rotina, das conversas, dos amores e desamores, das banalidas, das caras feias, do bota a baixo contigo.
Presente em momentos menores que se tornaram tesouros.

Boa Sorte!
Longe, mas sempre perto de ti!
Gosti, muito!

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Há com cada coisa!!


Hoje no "5 para a meia noite" Nilton apresentou-nos Joe Berardo como seu convidado.
O programa começou bem, com o apresentador a expor as suas piadas, a mostrar algumas fotos que lhe vão enviando por mail nunca ignorando o verbo desta semana: Vampirizar!
Até então tudo perfeito, o programa vai decorrendo com tranquilidade, eis que urge o momento de Joe Berardo dar a notícia de que joga no Euromilhões e que, como já está numa idade favorável para deixar o trabalho irá pôr, daqui a algum tempo, os papeis para a reforma.
Agora expliquem-me: sendo Joe Berardo um dos poucos BILIONÁRIOS portugueses, como é que este indivíduo pensa em Euromilhões e em reforma? Não lhe basta o império construído?
Que bonito era, aparecer na televisão que um dos mais importantes empresários e coleccionadores de arte ganhou o Euromilhões!
Anda aqui uma pessoa a contar os tostões para ver se o dinheiro chega ao final do mês e esta gente a dizer-me absurdos destes!
Berardo, tenha Santa Paciência!

Aqui está um belo exemplo que, quanto mais se tem, mais se quer!

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Próximo da mudança

O que passou:
Os dias sem fazer nada
As grandes noitadas ao luar
Os acampamentos
Os festivais
O acordar tarde
O não tomar o pequeno-almoço
A praia
Os dias de calor
O viver mais a noite que o dia

O que virá:
O estudo
As aulas
O acordar cedo
As olheiras
O aturar os professores com os seus humores inesperados
As idas ao bar e à biblioteca

Mas nem tudo são más notícias:
O reencontrar os amigos
As idas ao café nos intervalos do estudo
A taberna
O trajar

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Quem é q disse que o cavalheirismo é antiquado?


Estamos no século XXI e há quem diga que o cavalheirismo é coisa do passado que, se as mulheres querem ter a igualdade de direitos perdem o respeito de um homem.
Os tempos evoluem e há que evoluir a mentalidade.
Antigamente, quando a mulher ficava em casa a tomar conta dos filhos e na lida da casa, obedecia ao seu marido que era o chefe da família, era aquele que ia para fora trabalhar e por isso, era o que se cansava mais. Nessa altura a mulher não tinha qualquer voto na matéria, quer relacionada com a família, quer relacionada com a sociedade.
Com grande esforço por parte de outras mulheres, estas já têm o direito de trabalhar, de se exprimirem e de saírem de casa quer estejam casadas ou solteiras.
Agora pergunto-me, porquê a perda do cavalheirismo do homem? Está relacionado com a ausência de ter ali alguém para entregar os afazeres domésticos? Ou será que querem voltar a ver a mulher escrava nas suas mãos?
Não percebo esta indiferença que se vive hoje em dia quando se fala nos valores intrínsecos de uma mulher.
Quem é que carrega no ventre a vida?
Quem é que sofre as dores de um parto?
Quem é que oferece ao homem motivos para viver?
Por isto e por muito mais, é que o homem nunca deve faltar ao respeito a uma mulher. Ele não sabe viver sem ela, tal como ela não sabe viver sem ele. É um facto que muitos homens não o admitem e como tal, desrespeitam-nas.

Só homens despidos de espírito e de carácter têm o pensamento de que as mulheres não merecem o seu respeito e o seu cavalheirismo!


Acampamento
Concertos
Carvalhesa
Convívio
Palavras-chaves para um Avante inesquecível.
Era por volta das 9:30 da manhã de sexta-feira quando eu e a Soraia chegámos ao acampamento para nos instalarmos durante 3 dias de festa. Com algum espanto deparámo-nos com uma grande fila de pessoas que tinham a mesma ideia: entrar no parque de campismo. Depois de passar das 13h o desespero começou a entrar, quer em mim, quer à Soraia. Era 15h quando finalmente conseguimos entrar.
De pulseira verde no pulso seguimos para os próximos passos: encontrarmo-nos com o Márcio, montar a tenda, comer, ir às comprar e conviver.
Assim foi, passamos o resto do dia na nossa nova casa que, aos poucos tornava-se numa desarrumação típica de jovens.
Os dias foram passando, a Carvalhesa ditava o ritmo desta festa que tanta gente juntou na área central do recinto. Clã foi uma surpresa com a Manuela a demonstrar o seu melhor, saltando, interagindo com o público e onde nos oferecia momentos mágicos através da sua expressão corporal.
Foi no último dia que o grande esperado concerto chegou: Ska-P!Um concerto curto onde a banda demonstrou o seu potencial. As músicas mais conhecidas foram tocadas, "Cannabis", "Gato Lopez", "A la merda", "Welcome to Hell", entre outras.
Grupo polémico devido às suas letras, os seus momentos teatrais que apresentaram em cada música, também deram que pensar. Sem dúvida que a "peça" que me chocou mais foi quando cataram a música "Crimen Sollicitationis" pela forma tenebrosa que apresentaram a história igualando as vestes de um padre à letra, expondo de uma forma dura e crua o que se esconde para lá do “Pai Nosso”.
"Siervo de Dios...
Tocamientos, sacramentos, felaciones, juramentos
te enseño mi doctrina en forma de erección
Abuso de los niños, perversión y puro vicio
bajo mi sotana puedes encontrar a Dios

El confesionario es nuestro "tortuario"
Ay! Padre nuestro líbranos de él
En la sacristía hay mucha pederastia
Ay! Padre nuestro mas líbranos de él..."

Grande momento que se seguiu: a última Carvalhesa desta festa que já encerrava as portas.
Até para o ano!

“Avante camarada, avante
Junta a tua à nossa voz
Avante camarada, avante camarada
O sol brilhará para todos nós”

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Consolação 2009





Começou em saltos, passou pelas bebidas e sempre acompanhado por boa música e amigos. Assim foram estes cinco dias que se passaram na Consolação, uma terra bastante simpática localizada na zona de Peniche.
Mas falando melhor sobre estes dias...

Quinta-feira lá ia eu com mais duas amigas a caminho dessa terra dentro de um carro da Hello Kitty.
Não, não era a fingir, era real e andava bastante!
Apesar de estar numa zona perto do mar só no sábado é que consegui ir à praia, pois o tempo não ajudou a reviver esse momento relaxante!
Na sexta-feira mais uma pessoa se juntou ao grupo: Inês. Lá teve que haver um jantar dos grandes para comemorar o nosso reencontro. A foto que irá comentar o jantar é a do meio. Claro que a bebida não era para o gato que bem a queria. Onde eu quero chegar com esta foto ao coloca-la aqui é à garrafa que se encontra à sua frente: Martini friends!
Sábado, uma banda ia tocar no bar que reúne os jovens. Mais uma noite cheia de animação, quer por parte do público, quer por parte da banda.
Luxúria era o nome da mesma.
Para completar este fim-de-semana, soube que a menina Daniela, a dona do carro da Hello Kitty, já tem trabalho.
Parabéns a ela!

P.S: Obrigada a todas as pessoas que proporcionaram e entraram comigo nestes dias. Em especial agradecimento à minha amiga Rita. Sem ela eu não conhecia esta gente maravilhosa!



terça-feira, 25 de agosto de 2009

Aqui está uma teoria que nos irá livrar do aquecimento global...

Apesar da grande publicidade, a minha bebida de eleição continua a ser a bela da água...

domingo, 23 de agosto de 2009

Mais um Verão na linda terra, TOULÕES


Hoje vim da terrinha. Primeiro a sua festa, depois a da Zarza tendo no intervalo algumas idas às piscinas com o pessoal e muitas histórias vividas.
Dançar foi aquilo que mais fiz no fim-de-semana passado. Por estar demasiado calor, pouco saí de casa durante o dia.
Quando escurecia os primeiros movimentos eram dados fora de casa. Com um sorriso esboçado, lá ia eu para a festa abanar o traseiro. Esta animação alongava-se até aos primeiros raios de sol surgirem.
No último dia de festa houve torneio de futebol, quer masculino, quer feminino. Entre muitos bofetões a equipa masculina inimiga acabou por ganhar. A minha conseguiu, pela primeira vez, ficar em primeiro lugar. Depois de pontapés nem todos certeiros, de alguma corrida e gritos histéricos tivemos direito a uma grande taça. Felizes da vida, vaidosas pelo troféu, lá fomos colocá-lo no café mais frequentado pelo pessoal jovem para toda a gente ver a nossa conquista.
Momentos se seguiram de alguma dor muscular mas algo que me fazia sentir bem. Já há muito tempo que não sentia algo tão vivido.
Algumas discussões vieram trazer-me a tristeza de um fim de dia tranquilo, solarengo onde este era partilhado com os meus amigos.
As noites completavam o meu ser, umas mais especiais que outras, era por esse rumo que a vida seguia...
Segue-se a festa da Torre, uma terra perto da minha, onde Toulões teve exemplar. De todas as aldeias que estavam representadas pelos seus habitantes, a minha foi a que mais animou, a que permaneceu até ao final.
Espanha. Ontem fui até à Zarza para celebrar mais um ano. A feira já não me chama, passei a noite toda na discoteca que, no meio da música espanhola que pouco apelava para dançar, lá se achava uma ou outra perfeita para saltar a valer.
Agora em Lisboa, recordo os últimos momentos, os momentos que mais me marcaram e cada passo que dei naquela calçada cheia de vida.
Este Verão nesta linda terra terminou!
Para o ano há mais... Até lá, provavelmente no Natal lá apareça para mais histórias!

Como diz a minha amiga Soraia: "Os animais não são artistas de circo", muito menos escravos do ser humano.

Para sermos respeitados, temos que primeiro respeitar!

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Henri Fantin-Latour (1836-1904)

Aproveitando que era o dia da Juventude, resolvi ir visitar a exposição de Henri Fantin-Latour que se encontra na Gulbenkian até de 6 de Setembro deste ano.

Henri Fantin-Latour foi um pintor francês que, caminhou pelo auto-retrato, pelo retrato tanto social como intimista, pelas naturezas mortas, pelo simbolismo ligado por sua vez a temas religiosos, mitológicos e à primazia do sonho na arte.
Grande adepto da arte do auto-retrato, considerava um exercício pedagógico de formação do olhar, mas também uma exploração psicológica pessoal que transcende esta arte.
Nos retratos intimistas, muitas das vezes femininos, onde se respira o silêncio, contenção, alguma melancolia e onde se pressente um espaço de intimidade entre o pintor e o modelo.
"O Estudo" pintado em 1883:

Um retrato intimista feito a Sarah Elizabeth Budgett, uma das suas alunas. Cativou-me este quadro pelo modo como foi abordada a relação pintor-objecto-tela realçada, por sua vez, pela cor dada a cada um dos elementos. A pose do artista pressupõe a reflexão e o à-vontade que esta tem perante a criatura que a prende, que a fascina - o objecto a pintar.

Um tema que sempre esteve presente na sua obra foi as flores. Uma composição equilibrada, elegante e disciplinada, constituídas através de uma meticulosa associação de formas e cores.


Dentro deste tema encantou-me este quadro pintado em 1875 de nome "Crisântemos numa jarra". Um bouquet de pinceladas dinâmicas oferece movimento a cada uma das flores, a cada uma das pétalas. A cor e a luz proporcionam uma atmosfera intimista somente sentida pelo pintor.

Fantin-Latour foi o autor dos mais notáveis retratos colectivos da história da pintura. No "Ao redor da mesa", de 1872, podemos encontrar diversas personagens ligadas à arte francesa, tais como, Paul Verlaine, Arthur Rimbaud, Elzéar Bonnier, Léon Valada, Émile Blémont, Jean Aicard, Ernest d'Hervilly e Camille Pelletan.

E assim demonstrei os quadros que mais gostei.
E assim demonstrei que esta exposição vale mesmo apena ser visitada.

"Pintores pretensamente revolucionários, a cujos primeiros assistimos em meados do século XIX, não se apresentaram nem como autodidactas, nem como detractores do passado... não recusam o benefício do estudo amadurecido dos museus e das colecções..."

terça-feira, 11 de agosto de 2009

SW 09


A partida depressa se fez sentir para mais uma aventura.
O pano estava montado para mais um festival recheado de concertos e surpresas. Sorrisos encheram os dias, muitas pessoas encheram as noites.
O primeiro dia de festival, por ter que conduzir, foi o mais calmo. O primeiro para nos habituarmos ao ritmo dos dias que se seguiam.
Mad Caddies foi sem dúvida o concerto esperado. Embora com algum ou outro percalço, foi um dos que mais gostei.

“Drinking for eleven, that's just what I do,
When I'm not with you,
My heart goes to bed

End of the bar, that's just where I'll be,
Don't try and come find me
Cause I'm already dead

Gotta try gotta try for tomorrow
When you can't see through to day
There's nowhere left to stay”

Pela negativa surpreendeu-me Buraka Som Sistema e, pela positiva Marcelo D2 e Deolinda.
Pessoas se conheceram nos meios dos concertos, tudo na paz adorei o espírito que habitava naquelas terras.
Nomeando aqui diversos concertos, claro que não poderia deixar de referir o de Lilly Allen pela história que ali se apresentou.

Por este andar para o ano lá estarei a sentir novos concertos, novas pessoas, novamente a harmonia que cativa qualquer alma.

domingo, 26 de julho de 2009

Será que é moda ser mãe adolescente?


Hoje o meu dia começou calmo, bastante calmo até, e acabou num emaranhado de ideias.
Sinto que estou a chegar a uma idade em que olho para o lado e diversas raparigas que andaram comigo na escola já têm o seu estatuto de mãe.
Esta realidade faz-me, de facto, alguma confusão. Eu que estou ainda na erosão da vida não me estou a ver mãe, não estou a ver-me com uma criança minha nos braços.
Olho para as fotos, e lá estão elas com uma cara pequena ao lado, todas sorridentes dizendo que é uma alegria ser mamã. Acredito que o seja, até porque ser mãe deve ser uma das melhores sensações que devemos ter na vida, mas será que deve ser mesmo com 20 anos? Será que o sentimento que se sente aos 30 anos é igualmente grandioso quando se tem um bebe aos 18/20 anos?
Abdicar de sair sem hora nem dia para voltar, de conviver com amigos de dia e de noite, de fazer disparates, disparates esses adequados à nossa idade, e fazendo-os, também devido à juventude que ainda invade as nossas atitudes... Enfim... Viver a minha mocidade, será que não há um sentimento de perda ou até mesmo de arrependimento?

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Hoje...


... aturei pessoas, recordei outras e venci.

Aturei o mau humor
Aturei olhares
Aturei a desconfiança sentida por outrem
Aturei a prepotência

Recordei momentos
Recordei o telefonema
Recordei o olhar
Recordei-te

Venci a teimosia
Venci a ingenuidade
Venci a burrice
Venci e enfrentei-te

... Hoje foi um dia completo!

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Jazz, um cão de peso



Estava eu a ver algumas fotografias que tinha por este pc quando me deparo com esta imagem.
A escolha desta não significa não ter gostado das restantes fotografias. Simplesmente esta fez-me parar, fez-me recordar esta visita. Uma passagem pela Figueira da Foz, a casa da Soraia para passar lá o S. João.
Um dos momentos que recordei foi a nossa ida até à Serra com a companhia deste animal que, apesar de ser o seu passeio habitual, apresentou este lugar com uma enorme simpatia.
Um ar de conhecedor, de entendedor, portou-se como verdadeiro gentlemen acompanhando-nos sempre a cada passo que dávamos.
Um ser que só nos quer ver bem, um ser que nos conhece só do toque da campainha, um ser que nos enche de mimos.
Aninha-se em nós querendo a nossa protecção, com o seu brinquedo pede-nos para brincar, olha-nos como se em nós quisesse habitar para todo o sempre.

Quem não se derrete com este olhar carinhoso?

terça-feira, 21 de julho de 2009

A música que nos remete à saudade

Ouve-se a primeira batida e já se reconhece a música. Os gritos descoordenados libertam-se e muito suave a melodia se sente.

Os sorrisos são trocados, o momento é vivido.

Awimbaue

domingo, 19 de julho de 2009

De volta!


Com um pouco mais de cor na pele,
Com mais um amigo,
Com mais novidades,
Com mais experiências na bagagem da vida, cá estou eu novamente, para uma semana mais calma, a repor baterias para mais uma caminhada neste Verão que promete ser cada vez melhor.
Começou sem qualquer plano, hoje está recheado de aventuras.

Preparada... SEMPRE!!!


sexta-feira, 3 de julho de 2009

Alguns dias fora


Amanhã faço o meu último exame.
Um exame inesperado...
Vou abraçar um mundo mais calmo deixando vestígios para trás.
Vou na incerteza d voltar.

Acabo desfeita em cacos.
Assumo que definitivamente projecto não é comigo, no entanto, acabo espantada com a minha capacidade de ter conseguido decorar tanta planta em tão pouco tempo.

Não faço mais...
Porque não me sinto capaz
Porque tudo em mim atingiu o seu limite.

Vou de férias!

terça-feira, 30 de junho de 2009

A música que ultimamente tenho ouvido

Não sei se é por estar em pulgas de me ir embora, se é porque não vejo a novela da noite há muito tempo. A única coisa que sei é que tenho andado a ouvir esta música muitas vezes ultimamente.
Não é que eu queira fugir com alguém para qualquer sítio do mundo, mas esta música faz-me lembrar o Verão, o amor, a liberdade… enfim... coisas boas da vida...


Bem... Não é para fazer publicidade mas já a fazendo, estes meninos vêm cá para o Festival Delta Tejo.

sábado, 27 de junho de 2009

A liberdade existe realmente?


Presa...
... num corpo
... numa sociedade
... na responsabilidade
... a pessoas
... num sentimento
...
...

Sinto-me presa, amarrada necessitando de ar.Preciso de novo contexto, de nova vida, de nova maré.
Pressionada me sinto, uma máquina me transformaram… vêem-me com tal...
Alcançar a meta sem folgo não se trata de um destino a evitar, trata-se sim, de um destino a conseguir.
Arranca o momento de dar tudo... arrancam-nos o poder de termos uma vida social, de sermos pessoas de sorriso pronto a dar.
É o desespero de acertar, de entregar, de saber.

Sou livre? Neste momento não me sinto capaz de me afirmar livre!


sexta-feira, 26 de junho de 2009

Já está quase para o final


O sol já está lá em cima, as estrelas já desapareceram e mais um dia se ergueu tão rápido e tão veloz.
Vi cada raio seu a aparecer como que numa correria contra o tempo desejando que eles não viessem, que eles permanecessem durante algumas horas escondidos. Assim teria dormido um pouco... Assim não o pude fazer!
Pois é... Acabei projectos. Se tudo correr bem não hei-de voltar a aturar os professores desta disciplina. Depois desta noite segue-se as pinturas e a desejada entrega.

Estado actual: Semi-aliviada!

terça-feira, 23 de junho de 2009

É nestas alturas que só me vem esta música à cabeça...

Alguém partiu sem aviso prévio, sem ainda ter destino definido.
Outro alguém ficou entre o nublado da vida.
Momentos que ficam marcados com uma cicatriz profunda, onde graças ao tempo, se vai desvanecendo, permanecendo no entanto, sempre a sua marca.


TEMPO, palavra tão ambígua
Tão boa
Tão má
O tempo da cura
O tempo da saudade


Força meus amigos!!

domingo, 21 de junho de 2009

Uma fase complicada de escrever


Oiço bater as 5 horas no sino da Sé. A rua está calma, pouco se ouve, raro o movimento que se sente. De vez em quando lá a porta da rua bate e entra alguém vindo da Feira de S. João.
A minha posição pouco muda, ora sentada correctamente, ora com um pé em cima da cadeira, ora com a perna em cima da mesa tentando encontrar uma posição diferente do habitual... Mas sempre ali, é ali que as pessoas me vêem estes dias.
Quero sair, quero ver-me livre daquele lugar.
Tudo à minha volta em permanente movimento observo nas entrelinhas do meu estudo cada passagem: a empregada a ralhar por a sala estar muito desarrumada e suja, às aulas de mestrado de arquitectura que uma rapariga está a ter de vez em quando cá em casa, pessoas alegres, tristes, bêbedas aqui já presenciei. Agora fascina-me a constante mutação de um quadro que está a ser "fabricado" por uma moça que de vez em quando se lembra que tem uma tarefa à sua espera nesta sala.
Têm sido assim os meus dias, naquela mesa, a tentar sobreviver ao calor que chega aos 40graus com uma ventoinha por perto e a sonhar com a hora de arrumar as minhas coisinhas e ir de férias.

Por este motivo não tenho vindo aqui com o objectivo de escrever, mas apesar disso, nunca me distancio por muito tempo.


terça-feira, 16 de junho de 2009

Depois de um dia cheio de emoção aqui fica o pensamento com que o acabo!


Não quero estar só
Muito menos sentir a vossa partida.
Permaneçam comigo, junto a mim...

...Para sempre!!

quinta-feira, 11 de junho de 2009

Uma música para reflectir...


Ontem enquanto estava a trabalhar, ouvia música para tentar não ser um tempo muito monótono, pois estou na fase de passar a minha proposta de projecto em autocad, como tal, tenho que ouvir qualquer coisa para ver se não enlouqueço.

Mas no meio de tanto ritmo diferente houve uma que me fez parar e pensar.
Afinal, aquilo que é cantado nesta música é algo que já aconteceu a muita gente e que ocorre mais do que nós próprios imaginamos:

"Mas nem sempre vale esse tal de amor, que tanto se fala
Nem sempre cabe no peito o espaço que falta
Porque o amor nem sempre existe
Nem sempre subsiste
Apesar de por vezes julgarmos que o vimos passar bem perto de nós, bem juntinho a nós
Mas a ilusão também existe e também nos faz acreditar, confiar, sonhar
Que o fogo arde no mar
E que a maré não pode matar
Para a seguir apagar, anular, desaparecer
Como o ar que nos escapa de uma respiração
Até não sermos nada
Nem sim nem um simples não"

(Música de Donna Maria)

terça-feira, 9 de junho de 2009

Descobrir as diferenças...



É verdade…, poucas diferenças existem nestas duas fotografias, pois as figuras são as mesmas e, quer as suas posições, quer as suas expressões não fogem muito uma da outra. As figuras estão uma ao lado da outra, onde uma se encontra a rir e a outra com um copo de plástico na boca.
Mas há realmente uma grande diferença entre elas, uma diferença que pouca a gente a vê. Essa desigualdade está na essência do contexto em que ambas as fotografias foram tiradas.
A primeira que se vê foi a meio da queima deste ano no intuito de imitar a fotografia que se encontra a baixo desta tendo sido tirada na queima do primeiro ano de universidade.
Muita coisa aconteceu neste intervalo de tempo, muitos olhares tivemos, muitas experiências boas e más vivemos e muitos dias passamos... Crescemos!
Mas também muitas coisas que ao olharmos para estas duas fotografias deparamos que não modificaram.


O momento permaneceu
A intenção permaneceu
O gosto de viver permaneceu
A vontade permaneceu
O carinho permaneceu
A amizade permaneceu
....
E tudo isto permanece!!!

domingo, 7 de junho de 2009

Ai as saudades...


Lembro-me como se fosse ontem quando se tirou esta fotografia. Ao recordar este momento e ao ver esta imagem apercebo-me que apesar dos sorrisos, apesar do apoio, a dúvida e o receio da partida era um sentimento que ambas as partes sentiam.
Da certeza instalou-se a dúvida, o não querer enfrentar o desconhecido longe da família, longe das pessoas que tiveram sempre junto a mim.
Foi um sonho conquistado e nele permaneço.
Entrei sem conhecer ninguém na busca de novas experiências, de novas realidades, de novas descobertas.
Após três anos, hoje percorro o maior tempo longe de casa. Com os trabalhos a apertarem, com as frequências aí a surgirem, é hora de pôr mãos à obra.
Não posso ir a casa, lá tudo corre e neste momento não quero sentir o tempo a ir sem controlo. Há muito a fazer para ver tudo à minha volta correr.
Fico pelo Alentejo, aqui pelo menos anda tudo um pouco mais lentamente!
E por passar devagar que as saudades apertam.
Sinto falta, já sinto a falta...
Do cheiro da casa, de vocês, da comida da mamã, dos amigos que aí existem, da rotina que aí vive, dessa confusão... Enfim.
Falta um mês de intenso trabalho e de intensa ansiedade para poder sentir novamente o abraço do meu lar.

sábado, 6 de junho de 2009

Por elas caminho...


Há pessoas que nos espantam com as suas histórias de vida e que nos fazem sentir sortudas por ter a vida que temos.
Há pessoas que nos fazem sentir especiais porque o dizem.
Há pessoas que nos elogiam por sermos como somos.
Há pessoas que nos querem ver sorrir porque dizem que o nosso sorriso é lindo.
Há pessoas que nos dizem que somos uma luz que apareceu nas suas vidas.
Há pessoas que nos enchem de espanto por nos dizerem estas coisas...


terça-feira, 2 de junho de 2009

Mais uma noite a trabalhar


Mais uma noite a passar, mais um momento que se foi...
Os minutos passam sem deixarem rasto, sem anunciarem...
Os olhos caem, a cabeça pesa e os membros gritam...
Mais um dia que passou e ergue-se o amanhã com todo o seu fervor, com toda a sua vida que nos enche o espírito e nos dá ânimo para continuar esta batalha contra o tempo!

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Dia do regresso da criança!!


Não uso fraldas
Não uso chupeta
Não ando toda esmurrada das quedas
Não ando com o dedo no nariz
Não ando com a roupa toda suja

Mas considero este dia meu.
Hoje é o dia da criança e festejo-o, não com copos, não com noitada mas sim com um belo regresso à realidade de um estudante universitário. Voltei ao trabalho, voltei às preocupações, voltei às noitadas de projecto.

terça-feira, 26 de maio de 2009

Aí estamos nós numa nova fase...a Queima!!

Momentos onde não se diz nada, onde tudo nos parece ser evidente.
Estou bem, junto a vocês.
Uma temporada de excessos onde tudo vale:
não fazer nada
não pegar em livros...
Um intervalo na correria que caracteriza o dia-a-dia de um estudante universitário.
Chegou a Queima das Fitas e com ela vem as noitadas, as brincadeiras e muito sentimentalismo.

Estes dias vou estar um pouco ausente por isto. Dou notícias quando poder navegar nesta rede de comunicação e de cultura.

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Um futuro


Há alturas na vida que nos deparamos com dificuldades impostas por outras identidades que estão directamente ligadas com o nosso quotidiano. Não as crítico por isso, até porque estão a fazer o seu trabalho. Também não tenho nada contra até porque foi graças a elas que descobri o que quero fazer do meu futuro.
Estou num curso onde a cadeira com maior valor e maior respeito é projecto, uma disciplina que avalia a nossa criatividade para projectar espaços exteriores. Estou no segundo ano dessa disciplina e cheguei à conclusão que não tenho muito jeito, infelizmente.
Com esta realidade resolvi reflectir no que queria seguir, no que ocupar os meus dias quando saísse da universidade.
Com algumas aulas no intervalo deste pensamento cheguei a uma conclusão que quero servir e preservar os sistemas dunares.

Estes sistemas, como muita gente tem vindo a aperceber-se, devido às sucessivas invasões do mar sobre a placa terrestre as dunas têm adquirido um valor cada vez mais importante no seu papel de protecção. Aquele acontecimento está a adquirir níveis assustadores já que está no leque das consequências directas do aquecimento global.
As dunas são estruturas móveis resultantes da acumulação de areias transportadas pelo vento, nas quais as plantas têm um papel fundamental no seu processo de formação.
Muitos trabalhos têm vindo a ser realizados para a preservação das dunas: desde a construção de passadiços para que as pessoas quando se dirigem para as praias possam passar em carreiros definidos evitando assim o pisoteio aleatório pela duna, a instalação de plantas autóctones ajudando à fixação das areias transportadas pelo vento e pelo mar, a segurança destes sistemas evitando a presença de veículos motorizados nestas áreas...


É esta missão que quero ter na minha vida: Preservar o sistema dunar mantendo saudável a paisagem costeira de um país.