segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Depois da mesada


Estou em Évora há quatro anos. Ao longo deste tempo todo fui sujeita a partilhar uma prateleira de um frigorífico por mais duas pessoas. O congelador é partilhado por umas vinte e mesmo assim ao longo do ano surge um novo "inclino", o gelo.
No início da minha estadia fazia-me um pouco de confusão.
Onde colocava as minhas couves?
No começo foi uma confusão para gerir este pequeno espaço. Depois, adaptei-me logo a esta realidade.
Quando ia a casa estava sempre atenta à quantidade de comida que trazia, quanto à couve comecei a trazer em folhas, trazia alguma comida congelada e, quando havia uma temporada mais larga onde não ia a casa, tinha que ir ao Pingo Doce todas as semanas.
Hoje em dia, apesar de ter o mesmo espaço no frigorífico já não necessito de ir tanto ao mercado fazer as minhas comprinhas pois, actualmente, não tenho que me preocupar com uma das refeições principais, o que dá uma grande ajuda.
Apesar disso, hoje tive que ir às compras. Revivi o que é ir, por conta própria, ao supermercado.
Depois de receber a mesada, adoro ir a estas superfícies. Olhar para cada produto e pensar no que poderá sair dali. Como poderei fazer aquilo ou mesmo inventar novas receitas.
Aproveitar enquanto estou sozinha para experimentar, variar e ter esta vontade e aqueles produtos todos à minha frente, não é fácil colocar um travão à imaginação.

1 comentário:

Fulana disse...

aqui no Brasil, acontece exatamente igual! pouco espaço, nem sempre muitos recursos, e os supermercados assim tentadores!