segunda-feira, 28 de maio de 2012

Assim vivo

O regresso estava marcado e a ansiedade de partir começou a crescer.
A partida de Lisboa fez-se tarde mas não demais para impedir de ver as cores da terra que sempre me acolheu bem.
O cheiro
O som 
A paisagem

Poucas mudanças senti quando cheguei. A paisagem reconheci e fez-me recordar as histórias passadas dentro desta terra.
As caminhadas salgadas e cansadas, as cervejas bebidas e o pôr-do-sol que assinalava a despedida de um dia de calor cheio de banhos, tudo isto foram um dos retratos das estadias aqui passadas.



O pessoal pouco mudou.
Sorrisos novos, sorrisos conhecidos, todos eles deram as boas vindas. O regresso foi feito com um bichinho no estômago.
A música ao vivo, as danças e as cantorias foram os momentos que mais nostalgia me trouxeram. Há anos que não as sentia assim, com eles.



A pose característica do Bala

Como tudo na vida, o que é bom passa rápido e o adeus foi algo que obrigatoriamente teve que vir.
Dissemos adeus aos amigos, à paisagem, com um "até breve".


Será mesmo um "até breve" porque voltar a ficar anos sem vir a esta terra não voltará a acontecer! Porque não quero, porque não gosto, porque não quero fazer disso regra na minha vida. Quero fazer destas visitas, destas companhias, uma das minhas prioridades.

2 comentários:

Inês Cosme disse...

cá estou eu a ver o teu blog :P que bons momentos este fds, ainda bem que fui! estamos pouco tempo juntos, mas quando estamos sabe tão bem :)

beijinhos

RaquEL disse...

Ainda bem que foste (=
E sê bem vinda a este meu cantinho.

Bjs grandes