sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Uma partida com chegada incerta


"A hora da partida soa quando
As árvores parecem inspiradas
Como se tudo nelas germinasse."
Sophia de Mello Breyner Andresen

Um preparar inseguro e nervoso tenta controlar um entusiasmo
A alegria de ir é forte
A companhia anima e conforta.

Presenças queridas ficaram em terra
Importantes pelo que são.
Algumas pessoas, mil razões,
Assim partimos...

Uma partida pressupõe uma chegada
Onde? Não sei!
Quando? Também não sei!
A única certeza que temos é que partimos!

Um rumo certo marca o incerto do restante.
Um rumo com várias hipóteses de desviar,
Nenhuma delas de todo impossível,
Aqui vamos nós!

As indicações nos guiam, a estrada o nosso caminho.
A música controla as batidas do coração.
A fala pouco ensina
Porque todas sentimos de igual para igual.

Chegamos?

Vamos!

1 comentário:

Sara Almeida disse...

Já alguém dizia e espero não estar em erro..."o importante é partir e não chegar"...quem? boa pergunta..tenho a sensação de Miguel Torga, mas mais tarde e com mais calma confirmo.

Ter coragem para partir é o passo, a decisão, o acto...
chegar é só a conclusão disso...

Por mim, estaria sempre a partir, sem hora, local, data ou recepção para chegar, escusava de assistir a cenas tristes que nos rodeiam e se tornam tão banais e futeis.
Mas é mesmo assim não é?

"a vida feita numa mala"

e sujeitamo-nos...

Não me importa o destino, chegava-me que na hora da partida ouvi-se um "estou pronta", se em plural melhor ainda.

Um beijinho grande na espera de outra viagem*